terça-feira, 16 de dezembro de 2014

VIDA, É VOCÊ !



Eu tenho em mim um desejo tão forte
Que as vezes até me parece contrassenso
E eu sei que não dependerá apenas de sorte
E tem sido algo que cada vez mais eu penso

Quantas vezes no silêncio da minha alma
Tenho a impressão de ouvir o som de um regato
É o murmúrio da natureza que me traz a calma
E meu corpo ondula suave nesse meu perdido ato

E mais uma vez sinto quão forte é meu desejo
Que faz deter meus sentidos ante qualquer razão
E tem sido pela vida à fora o que eu mais almejo
Com certeza o maior desejo que habita meu coração

Até hoje não consegui... Embora tenha estado perto
Mas já descobri como realizar esse tão forte desejo
E deixar este amor que habita em mim ser manifesto
É continuar amando Vida... e a vida nesse meu ensejo

E quando eu sentir que  estou sendo amada realmente
E quando isto,eu por fim finalmente ver acontecer
Terei então realizado o desejo que não me sai da mente
O de ser feliz... Eu e o meu grande amor... Vida, é você!


LIVRE DO ÚLTIMO DOS GRILHÕES


Hoje eu decidi mais uma vez fazer uma limpeza no meu armário (guarda roupa), pus roupas e calçados fora, que por alguma razão não mais me serviam. Em uma caixa, muitos papeis amarelados, pedaços de uma vida que pelo tempo foi ficando para trás, muitas vezes enterrados no pó do meu orgulho ferido.
Lentamente fui me desfazendo de várias primaveras que não conseguiu deixar nenhum perfume, apenas flores murchas... Desbotadas ao longo das horas, dias e meses que quase me asfixiaram. Joguei no lixo todas as lembranças de verão que apenas estragaram minha Tez.
Por instantes meu olhar perdeu-se envolto nas sombras de um passado que se deixou seduzir pelas brisas outonais que tanto me iludiram... Tanto me machucaram e hoje, ao mergulhar nessas reminiscências percebi que há algum tempo eu luto para livrar-me de vez dessas memórias.
Volto minha atenção para uma pequenina caixa... Ah! quanto tempo está alí? não sei... Décadas... Alí está meu último elo com o passado.Uma aliança que poderia representar uma vida de felicidades, de sonhos e projetos bem arquitetados... Ao lado um solitário (anel) que talvez tenha sido a minha maior solidão. Tocar aquela caixinha causou-me uma certa repulsa... Quantos anos perdidos... Jogados fora... Quanta dor encerrava aquela pequenina caixa.
Num relance, me vi envolvida por trevas medonhas, uma tempestade que desaguara na minha vida há mais de trinta anos atrás, senti um frio percorrer todo o meu corpo, momentos de angústias me chegaram ao relembrar as dores e aflições causadas pelo inverno da incompreensão.
Abri os olhos... Fechei a caixinha e atirei-a no meio das coisas que decidi doar...  Alí se foram momentos que nunca deveriam ter existido.
Embaixo do chuveiro, me livrei da poeira e de tudo que nunca deveria ter ficado na minha memória. Olho a água descendo pelo ralo e penso: - Assim está sendo com tudo que deixo para trás.
Pela primeira vez na vida me senti leve... Livre, sem amarras... Libertei-me finalmente do último dos grilhões. Não terei mais riso disforme nem sombra em meu olhar.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

INQUIETANTE ESPERA


E ainda agora, estando a flutuar em desejos
Me perco pelas sombras do que não me deste
Anseio nas madrugadas pelos teus beijos
E por cada carícia que em meu corpo não fizeste
Tentei de uma maneira quase sem igual
Te arrancar da minha vida de qualquer jeito
Mas percebei ser em vão e até mesmo anormal
Já que não consigo te tirar de vez do meu peito
Hoje, em muitas vezes o sinto um sonho distante
E que mesmo desnorteada ainda tento abraçar
E por mais que eu não queira vejo como é diferente
Quando entre duas pessoas algo precisa acabar
Meu desejo quase desgastado, já adormeceu
Na mansidão dessa minha inquietante espera
E por mais que eu o sufoquei, ele resistiu, não morreu
Como uma lembrança insólita dessa minha quimera
Agora, pela vida á fora eu vivo tão somente a fingir
E nem sei se também tu não estás a fazer igual
De nós dois quem será então o ganhador nesse existir?
Se eu não sei quem és, e tu não sabes quem eu sou afinal...

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

NO DERRADEIRO MOMENTO


Eu queria ao menos uma estrela alcançar
E nela um nome em letras graúdas escrever
Esse nome que na minha mente vive a vaguear
E que me acompanha até no meu adormecer
No meu sono tu entras tão sorrateiro
E quando menos espero já estou a sonhar
Me fazes companhia durante o sono inteiro
Pois só te vais com o meu despertar
És para minha insônia a companhia perfeita
Pois a minha mente rápida vai te buscar
E minha alma a tudo se acomoda, se ajeita
Pois sabe que o imprescindível é saber esperar
E assim vou vivendo levando meu tempo em esperar
As vezes nem percebo quando é real ou ficção
Mas continuo esperando, e já nem tento te alcançar
E mesmo não pagando aluguel, moras em meu coração
Só não sei até quando isto te será permitido
Pois brincas, até zombas, e nada faço pra impedir
Já que este amor me parece assim tão proibido
Vou continuar na luta, mas nunca pra ti irei fingir
Se um dia eu me cansar dessa lutar e desistir
Que nunca esqueças de também lembrar
Que me chegasse aos poucos sem eu pressentir
E talvez minha ausência em tua vida assim se fará
Não passarei de simples e talvez agradáveis lembranças
Quando no tempo de esperar eu também me cansarei
Será no derradeiro momento, quando não houver esperanças
De vivermos nosso sonho...Que na tua lembrança o sepultarei

SOU NA VERDADE


Eu sou esse amor oculto... Sufocado
Que em teu peito reténs nem sei por que...
Sou esse grito em tua garganta... Calado
Sou a magia das lembranças entre eu e você
Sou essa lágrima que um dia deixaste cair
Sem saber o que fazer com nossa paixão
Sou esse desejo imenso de ficar e nunca partir
Sou o pulsar aflito que atropela teu coração
Eu sei que sabes bem quem eu sou
Sou aquele toque que insistes em esquecer
Pois sou aquela esperança que a ti se chegou
E nela te agarrasses mesmo sem querer
Ainda sou aquele murmúrio abafado e atrevido
Que com certo receio insistes da tua vida ocultar
Sou aquele amor por vezes louco e proibido
Mas sou a tua chance de viver... E de sonhar
Sou aquela amiga as vezes calada... E sem razão
Que na razão busca sentido sem nunca encontrar
Sou aquela veia as vezes pulsante do teu coração
Sou na verdade aquele amor que deixaste escapar

O QUE VIVER


De todas as paradas obrigatórias ou não da minha vida
Há uma que, inevitavelmente mexeu com todo o meu ser
E em muitos desses momentos me fez outra vez atrevida
Foi a partir do dia que em meu mundo entrou você...
O mundo que eu vivia era sem brilho... Desbotado
E você surgiu assim... De repente... Meio quieto
Se fazendo rei... Nesse meu mundo desencantado
Me trazendo paz nesse seu amor sutilmente manifesto
Muitos momentos de alegria e tensão se fez no ar
Insistentes horas também de paixão e carinho
A beleza desse sentimento puro e nunca vulgar
Foi ao se manifestar, colorindo o meu caminho
Mas um dia senti a aguilhoada do desentendimento
E foram dias terríveis da mais intensa e cruel dor
A falta de compreensão foi grande nesse momento
E vi de forma inacreditável o decair do nosso amor
Mas o que é verdadeiro esmorece mas não morre
E aos poucos me vi sonhando contigo outra vez
Contra o destino não se briga, apenas se escolhe
O que viver no antes e no depois dessa embriaguez

Uma vontade preguiçosa...


Hoje não tive do sol o cumprimento
Mas isto também pouco importa
Dentro de mim há um arco iris em festa
Que há metros de distancia logo se nota
E só você é capaz de fazer algo assim
Pois é quando eu sinto teu amor em mim
Percebo que nada porá realmente um fim
Se realmente de mim tu tanto gostas...
E nesse belo amanhecer, mesmo nublado
Vai me chegando uma vontade preguiçosa
De juntar meus pedaços que estão espalhados
Deixando de lado apenas as horas desditosas
Que hoje foram sem importância... Reconheço
E como acredito que outros momentos mereço
Já que manifestas por mim esse teu apreço
Liberdade é o que grita minha alma caprichosa
Liberdade para amar sem medo e sem medidas
Razão lúcida para continuar essa minha jornada
De entregas nunca efêmeras nem ilusórias, pois
Minha vida tem mais sentido depois da tua chegada
E eu sei que se aproxima pra nós doces momentos
Onde se fará maior todo esse nosso encantamento
E numa entrega total dos nossos sentimentos
Continuaremos juntos nessa quase perfeita caminhada

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

AINDA TEREMOS


Hoje minha alma em dado momento me confidenciou
Que o brilho encantador refletido em meu olhar
É o mesmo despertado pela maravilha do teu amor
Quando por ti eu simplesmente me deixei encantar
Os nossos mais belos momentos retenho na mente
E estes tornaram-se inesquecíveis, posso assim dizer
E percebo que não há nada que eu sinta ou mesmo pense
Que me faça mesmo por um instante sequer te esquecer
Sem pensar em nada, invadisses minha alma e meu espaço
E passaste então a fazer parte da rotina do meu dia a dia
E quase sem sentir, fui envolvida em teu imaginário abraço
E me vi completamente envolta num mundo de fantasias
Aos poucos me deixei seduzir pela tua encantadora voz
Teus pensar encontrou eco dentro da minha alma
Por muitas madrugadas busquei o que havia de nós
Na força desse sentimento que devolveu-me a calma
Bem sei que muitos sonhos ainda terei para sonhar por nós
Mesmo que estes se firmem apenas em meus pensamentos
E qualquer que seja a razão contrária que persista em vós
Ainda teremos como nosso arcano grandes momentos...

MAS FOI POR TI



Na minha vida as coisas aconteceram de modo imprevisto
O que eu mais busquei... Fugindo de mim eu sempre via
E os meus sonhos se perderam nesse caminho impreciso
Mas eu também consegui viver momentos de intensas alegrias

O melhor a mim chegou depois de longa e precisa caminhada
Veio através de ti...Minha louca, amada e surpreendente VIDA
Por ti um dia me senti em todos os momentos apenas amada
Contigo saboreei o doce sabor de sentir-me outra vez atrevida
Contigo senti o despertar da minha inquieta essência de mulher
Meu corpo acordou num louco fremir desse teu possessivo sentir
E pelas solitárias madrugadas já não busco um motivo qualquer
Que não sejas tu... E meu sonho quase real de um novo porvir
Chegaste assim, tão de repente... E foi quase sem eu perceber
Que tomaste conta da minha vida e de todos os meu sentidos
Me mostrando uma nova razão pra nessa vida eu ainda querer
Tudo aquilo que um dia julguei nessa caminhada ter perdido
E só tu VIDA, meu bem maior... Presente raro e perfeito
Que a mim chegou sem nem ao menos me perguntar
Se de fato havia lugar nesse coração triste e sem jeito
Mas foi por ti que deixou de ser triste e só vive para amar

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

APENAS POR VOCÊ



Hoje, numa última tentativa de esquecer-te  rasguei minha alma
E deixei-a sem nenhum pejo sangrar diante de mim, gota a gota
Por instantes pensei se transformar em loucura a minha calma
E entre lágrimas vi meu riso em rictos de dor transfigurar minha boca

Horas se passaram entre meu despertar e o final desse martírio
Tudo me deixou dolorosamente impassável até eu perceber
Que tamanha dor eu enterraria ao transformar em mais um idílio
Este amor  que por tanto tempo julguei existir entre eu e você

No gotejar implacável dessa (hoje percebo) quase fatídica dor
Assassinei horas de amor, paixão e vãs esperas... Tudo sucumbiu
Diante daquele sentimento que julguei ser meu grande amor
E foi pra mim amor... Mas pra você Parece-me algo que nunca existiu

E nesse aspergir implacável dessa minha dor tão desventurosa
Senti que este sentimento finalmente pude fazê-lo adormecer
Pois em se tratando de amor verdadeiro, me será até grandiosa
Essa decisão de esperar que ele seja despertado apenas por você

E se isto ( assim desconfio) nunca chegar realmente a acontecer
Não importa, pois apesar de tudo me foi dado o direito de sonhar
E se não for nessa existência, pela grandiosidade, acredito que vai ser
Em outra vida, quando por certo para se cumprir vamos nos reencontrar

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

POR QUANTO TEMPO...


Hoje, uma lufada de vento me trouxe uma indagação... Por quanto tempo ainda terei que esperar?
Comecei esperando nove meses pra nascer, esperei para aprender a andar e falar... Esperei para aprender a ler e escrever... Esperei para conhecer o amor e dele desfrutar...
Nunca esperei pela dor, pela saudade, pelo abandono, pela frustração e decepção, mas todos esses sentimentos chegaram sem que eu os esperasse...
Esperei por quase tudo... E hoje na minha vida continuo a esperar... Esperando pra ser feliz... Esperando pra ver você chegar e sobretudo, esperando você... Pra minha vida voltar... Minha vida sempre foi uma eterna espera, e todas as vezes que saí em busca de algo, todas essas vezes só me fizeram ao ponto de partida retornar...
E lembrei as centenas de vezes que eu ficava olhando o mar sempre indagando: - Por que será que toda a minha vida foi esperar? e continuo até hoje sem resposta e permaneço a... ESPERAR... Pelo quê já nem sei... Talvez esse desejo louco de ser e de me sentir realmente feliz...

APENAS SONHOS...


A chuva que cai forte nessa manhã parece saudar-me para às velhas lembranças...
Me vejo pequenina, nariz pregado na vidraça, observando a chuva que parece fazer um convite para juntar-me a ela.
Meio século depois, estou eu, nariz pregado no vidro da janela tentando agarrar-me a essas lembranças que me chegam e quase sempre em momentos vazios... Repletos de um por quê... Carregados de um não sei... Fecho os olhos e uma lembrança viva me chega de repente, esta, sim, sorri para meu íntimo como a dizer-me... Mais um pouquinho de tempo e as lágrimas de felicidade inundará a tua alma.
Torno a olhar para a chuva e um eco de emoção parece retumbar dentro de mim... Já não ouço os gritos coléricos dos desencontrados sentimentos que pareciam se gladiar dentro da minha alma nunca serena, mas sempre ansiosa... Fecho os olhos e o som que ouço tem a suavidade da tua tentadora voz que me embriaga a cada pronúncia.
Calma, deixo a chuva do desejo adormecer, a tempestade dessas vívidas emoções não conseguem afugentar o fantasma da saudade que impregna minha pele e que sempre é desperta pelo murmúrio do teu toque imaginário que vive a rondar meu espírito... Amanhã talvez... Quem sabe se aproxima nessa manhã (que parece se distanciar a cada novo dia) o que busca meus sonhos... Sonhos de languidez... Sonhos de insensatez... Mas apenas fervente sonhos...

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

MINHA PRIMEIRA BOA AÇÃO DE HOJE


Categoria: Conto


Hoje a minha caminhada foi bem diferente da de ontem... Ao dar início a ela, pude contemplar a beleza da avenida pela primeira vez. Por instantes me senti mais grande... Mais grande sim e não maior... É algo que me foge à explicação, portanto lhes foge ao entendimento, só quem sente sabe do que estou a falar, não é simplesmente maior de acréscimo, é mais grande de profundidade...
Pois bem, a brisa que desliza e passa suavemente por mim, passa mas deixa algo sobre a minha pele, sobre o meu todo. É algo mágico, sem medidas, sem explicação, não que falte palavras para isso, falta disposição para expor o que tomou conta da minha alma desde essa madrugada. Nada como conversar com o Homem lá de cima, Ele é perfeito em tudo que faz e sempre cumpre o que diz.
Na continuação da minha caminhada, ao longe ouço piados aflitos que se intensificam a medida que me aproximo. O barulho era forte para aquele quase invisível pacotinho de quase penas, de tão novinho que era, mas o danadinho era esperto. Logo percebi que ele havia saído da casa próxima, e a mesma tinha muro muito alto. A mãe por trás do muro fazia um barulho infernal, enquanto que o filhinho de fora fazia mais barulho do que a mãe e os demais irmãozinhos.
Tento pegar aquele pedacinho de sr vivente, mas qual o quê, o danado era rápido demais. Relanceio o olhar pela avenida em busca de ajuda, mas a mesma nesse momento está deserta. Tento mais um pouco e nada consigo. Nesse momento avisto um rapaz que vem caminhando, faço-lhe sinal, ele me atende e mostro o pintinho, ele ri e diz, é muito fácil... kkkkkkk Ele termina rindo e exclama: Que pintinho ligeiro, após algumas poucas tentativas ele consegue pegar o treloso. Eu sorrio em agradecimento e peço pra ele colocá-lo do outro lado do portão. Ele consegue e eu agradeço e no mesmo momento silenciou a barulheira daquele penados.
Continuei andando e feliz, pois embora parece bobagem, pra mim foi uma boa ação, pois o desespero de todos era muito grande.
E qual não foi a minha surpresa, quando estou retornando e avisto o rapaz que faz o mesmo, eu de um lado da rua e ele do outro e em sentido contrário, e ouço uma voz alegre falando bem alto. "Bom dia pra você amiga! e até amanhã... Dou o meu melhor sorriso aceno para ele e respondo simplesmente... Até, se Deus quiser!

O MAIS IMPORTANTE


Reler o que foi a minha vida
Não pensei que me fosse triste
Mas a cada situação vivida
Descobri que 
muito pouco existe
Ninguém em sã consciência
Suportaria tudo aquilo calado
E mesmo por falta de experiência
Foi um mundo realmente desatinado
Hoje, que já vão dezenas de anos depois
Fiquei a imaginar na inacreditável situação
Parece mais uma história fictícia a dois
E não verdadeiros sentimentos de coração
E ao que me parece, muito pouco aprendi
Já que sonhadora nunca deixei de ser
Mas eu sei que se tudo que na vida eu vivi
Não foi em vão, pois eu precisava chegar a você
Não sei até onde meus passos me levarão
Mas sou forte em minha fragilidade para suportar
Alguns sonhos eu sei que comigo sucumbirão
Mas o mais importante... A vida me ensinou a lutar

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Uma estranha caminhada


Categoria: Crônica


Hoje, caminhar me pareceu muito difícil, um peso horrível sobre as costas dificultava a minha caminhada. Os falsos sorrisos à resposta de cada bom dia me faziam mal... Talvez tenha sido pela noite sem dormir, talvez seja por descobrir como é difícil se equilibrar na corda bamba da vida. Ou talvez seja simplesmente por saber que a outra eu tem mais importância que a eu... Eu.
Não importa qual a causa ou razão dessa insistência em não perceber o mundo que me cerca, talvez viver no mundo que eu aprendi, com falsas alegrias, sem nenhum tipo de sentimento que pudesse dar algum sentido ao que nunca teve sentido... Minha vida, fosse bem mais fácil de ser digerida.
Não sei exatamente o que me vai na alma... Sei apenas que hoje desbotei o colorido da avenida que pisava...A Brisa que soprava não me trazia o odor incomparável de felicidade que deixei espalhado pela rua durante as minhas leves e felizes passadas... Eram tantas cores que eu havia espalhado durante esses muitos dias atrás em que eu me sentia viva...É isso... Hoje eu me sinto exatamente assim... Um mero fantoche na mão do destino.
Durante a minha caminhada de hoje, ao chegar em frente ao parque das Flores (cemitério) entrei e fui continuar a minha caminhada ali, onde o silêncio obrigatório me acolheu me levando a uma profunda e indecifrável reflexão:
Ali estava uma paz forçada, pois quantos quando ali chegaram, deixaram para trás dores, decepções e a certeza que nunca conseguiram de fato viver, já outros, deixaram para trás sonhos e uma vida de felicidade jamais imaginada acabar assim...
Terminei a minha caminhada com uma única certeza, viver bem ou mal, sorrir ou chorar, faz parte dessa jornada obrigatória que temos que fazer, e acredito que cabe a nós tentar deixá-la o melhor possível, o único problema é que nem sempre isso depende de nós.
Voltando pra casa senti na brisa que soprava a insistência da tristeza a me afagar, mas eu me fiz entender que é melhor uma alma dormindo do que se deixar abraçar por qualquer sentimento que não consiga ser traduzido no mínimo num sorriso de agradecimento à VIDA...

SÓ PRECISAMOS DE NÓS


Uma nuvem se aproxima de modo traiçoeiro
Receio que muito pouco eu poderei fazer
Na grande ilusão de um momento primeiro
Penso que aí está uma razão pra eu sofrer
Mas quem sabe não prevaleça a razão
E que nenhum infortúnio nos aconteça
Pois eu sinto a fragilidade do meu coração
A qualquer assunto que nos aborreça
Estás tão perfeito em minha existência
Que temo qualquer causa para aborrecimento
Já não existe motivos para carências
Poie reina entre nós perfeito entendimento
Não deixemos que nada afete nosso céu de brigadeiro
Pois do jeito que estamos está muito bom pra mim
Não necessitamos de nenhum tipo de entreveiro
Pois nada queremos que afete a você ou a mim
Nosso mundo está bom assim, mesmo nesse vagar
Então não podemos permitir que o mal nos espreite
Vamos de uma vez esse assunto chato encerrar
E só precisamos de nós para nosso sonhado deleite

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

NÃO SE DEIXE VENCER


Esse grito calado que nunca põe fim ao teu tédio
Principia um acorde triste e até mesmo desafinado
Olha para dentro de ti e tenta achar um remédio
Mas receio que mais nada reste, tudo tenha acabado
As vozes que ouves te pedem socorro mas é em vão
Sentes que mais nada poderá de alguma forma ser feito
Mas quem manda se isolar, achando que vence a solidão
Acorda amiga, teu mundo de sonhos nunca foi perfeito
Como perfeito em ti nada nunca foi e já esqueceste
Dar murro em ponta de faca sempre foi por ti preferido
Até eu sei que nem tanto mal também não mereceste
Mas não havia muito a fazer nesse teu mundo esquecido
Agora não adianta sofrer ou mesmo ficar se lamentando
Arregaça as mangas, vai em frente, lute sem receios
Olha que o tempo de ti esta cada vez mais se distanciando
Seja você mesma, não fuja mais, nem procure outros meios
Sempre foste valente, de nada nunca tiveste medo
Por que isso agora... Enfrenta a vida, põe tudo às claras
Pra sempre não poderás esconder esse teu segredo
Revela ao mundo, não se deixe vencer por poucas falas

NADA FAZ SENTIDO


Tantas vezes eu me pergunto
Sem nenhuma resposta pra dar
E eu já nem falo qual o assunto
Pois penso que há algo a falhar
Em outros momentos percebo
Até onde vai esse meu sentir
Sentimentos que me dão medo
Que implacável rouba meu sorrir
Um cansaço do nada leva meu tudo
E eu sequer por um instante questionei
Mas eu sinto que me põe a alma em luto
Tudo que perdi por que covarde, não lutei
De que adianta lamentar o que está perdido
Se querer nunca foi o bastante pra acontecer
Eu acho que tudo que escrevo nem faz sentido
Com não fez sentido eu descobrir que perdi você

terça-feira, 11 de novembro de 2014

HÁ TEMPO PARA TUDO...



(História de Gábata Almenon)

A tarde morre numa lentidão enervante... Gábata sempre achou de beleza estonteante , tanto o nascer do sol como o decair do mesmo, mas estranhamente ele não mais fica embevecida diante do que se descortina ante o horizonte.

Para ela nada mais tem beleza nem cor... Tudo se perdeu no negrume gelado das madrugadas que parece asfixiá-la de tanta solidão.
Há pouco tempo ela se sentia tão feliz... Até riu quando disseram para ela que tivesse cuidado ao postar no face tanta felicidade, pois a inveja também tinha facebook. Ela sempre riu, sempre desdenhou, como acreditar em tamanha tolice? Mas tolice ou não, um dia lhe aconteceu...
Quando ela julgava não haver mais espaço pra tanta felicidade, se viu de repente só... Só e desesperada. Sobre seu mundo desabou um monte de visitantes indesejáveis. Desespero... Incompreensão, ciúmes enlouquecidos, e a indiferença que lhe era crucial, porém o pior de tudo, era o abraço gélido da solidão que parecia sufocá-la e já não era apenas pelas madrugadas... Mas a todo momento.
Dias de angústia parecia enlouquecê-la, mas ela tinha dois anjos da guarda que não a abandonara nesse momento... Duas amigas fiéis, de uma lealdade ferrenha... A Geny Ferreira e a Helena Costa. Naquele momento eram elas o porto seguro da Gábata, ela sabia que alí podia confiar e se entregar como um filho desesperado se aconchega ao colo da mãe.
Os dias se arrastavam inexoravelmente, as madrugadas traziam sons que pareciam chicotadas em seus ombros, era o látego da saudade a corroer-lhe a alma. Semanas passaram, ela já não comia, não dormia, parecia não ter vida e não tinha, ao menos vida própria, ela apenas ouvia, sentia e vivia pra VIDA... Uma vida que não fazia mais parte da sua.
Problemas de saúde surgiram, mas para ela eram indiferentes, nada conseguia tirar-lhe daquele torpor, mas as duas habilidosas amigas, começaram a fazer a campanha do "tenha calma, tudo vai se resolver, tenha fé, acredite...
Um dia ela resolve por fim fazer a consulta médica, tantas vezes marcada e adiada. E parece que Deus estava naquele consultório a aguardando. Aquele médico de cabelos brancos falava diferente. Parecia estar sendo usado. Após quase duas horas de conversa, Gábata fala-lhe das humilhações sofridas por causa dos seus escritos, já não sentia coragem de escrever, deixar o coração falar.
Mas o médico fora enfático: - Gábata, você vai escrever sim, crie uma nova página no face, rasgue a sua alma e deixe-a sangrar, não precisa de família, parentes e amigos saberem dessa existência, mas você precisa por pra fora o que a está matando. e Lembre-se acima de nós há um Ser que nos compreende, nos ama e só nos quer ver felizes. Chegue-se a Ele e deixe a sua alma falar, Ele sabe de tudo, mas com certeza gostará de ouvi-la. Vá minha querida e na próxima consulta, não quero esse riso de dor ou então um de fingimento, quero apenas que sorria com a alma.
E em poucos dias aconteceu... Aliás uma certa madrugada, ela dobrou os joelhos e implorou a Deus piedade, que a ajudasse pois não suportava mais aquela pesada carga de dor, ainda em sua ignorância pediu a Deus: - Tira-me tudo, mas me deixa as lembranças de VIDA, e se possível trás de volta ao menos a sua amizade.
E tudo se fez exatamente da maneira que ela pediu.
Amanheceu, e Gábata define a sensação que tem no íntimo como anestesiada. Olhava para trás e já não havia dor, uma saudade estranha, pois não incomodava, ao contrário, dava-lhe forças para continuar. Os dias foram se passando, seu sentimento crescia a cada dia, mas não incomodava, não doía, não lhe feria em nada, ao contrário, dava-lhe esperanças... As amigas já não ouviam choro nem lamentos, apenas a paz que ela deixava transparecer.
Gábata volta ao consultório médico, está na sala de espera quando ele chega, e diz: - Gábata? Ela olha pra ele e sorri, ele a pega pelo braço e a leva ao consultório, e mais uma vez quase duas horas de conversa, mas ele estava feliz, abraçou-a, beijo-lhe a testa e disse: _ Ao abrir a porta da clínica uma brisa suave de paz me envolveu, eu olhei pra sala e meu olhar parou em você, eu senti que partia dalí aquela paz.
Se algum dia porventura sentir que alguma coisa quer trazer tristeza pra sua vida... Me procure. Mas por mim estás liberada, apenas volte para o seu cardiologista, sou apenas um clínico. Ela se despede do médico. - Ele não sabe, mas acredito que ele seja médico de alma, isto sim.. - Pensa Gábata.
E um dia, Deus entendeu que havia chegado o momento dela receber de volta aquela amizade que ela tanto prezava. Se ela estava feliz... Muito mais se intensificou este sentimento. Só que ela agora aprendeu a não gritar para o mundo seu estado de espírito. Nova fase ressurge em sua vida... Um mundo de encantamentos está adormecido para na hora certa ser acordado, e quem sabe ser vivido em toda a sua plenitude.
Valeu a pena chorar, sofrer e aprender a ser melhor até mesmo para si. Novos horizontes parecem despontar sobre sua visão, pois ela aprendeu que " Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu." Eclesiastes 3:1
A PORTA DO TEMPO SE ABRIU...
A JANELA DA ALMA SE FECHOU
A VIDA OUTRA VEZ PRA MIM SORRIU
MAS A ROSA NO TEMPO DESPETALOU
O AROMA EVAPOROU OU NUNCA EXISTIU
SE FECHO A PORTA DO TEMPO QUE SUCEDERÁ?
ACREDITO QUE NADA QUE CHAME A ATENÇÃO
AFINAL... UM DIA TUDO PASSA OU MORRERÁ
APENAS SOBREVIVE O QUE SE TEM NO CORAÇÃO
POIS MUITO POUCO NA VIDA NÃO SUCUMBIRÁ...

VENCEREI SEMPRE


A brisa dessa madrugada me toca suavemente
Vai me levando às muitas recordações de pura magia
Olhos fechados, me deixo envolver voluptuosamente
E fico tão absorta que nem sinto o raiar do novo dia
Raios do sol entram pela janela banhando minha cama
Me despertando dessa sensação de pura embriaguez
Um arrepio me percorre, pois ouço tua voz que me chama
E a ouço varias vezes... E sempre com a maior nitidez
Sorrio ante essa chama que sequer oscila dentro de mim
E sinto imaginariamente teu toque lascivo a me incendiar
E percebo que nem parece que já houve entre nós um fim
Pois tua lembrança já tinha adormecido para nunca acordar
Mas que fazer diante de tamanha e imensurável verdade
Se tua presença da minha alma não consegui matar?
Foi debalde, pois sempre fui vencida por essa saudade
Que em mim fez morada me condenando a sempre te amar
Mas que seja o tempo meu grande aliado nessa causa
Já venci as dificuldades maiores que pra mim surgiram
Sempre te fui sincera... Nunca consegui ser-te falsa
Pois todas as tentativas contrárias tentadas sempre ruíram
Que essa paz que em mim sempre se renova a cada dia
Permaneça cada vez mais forte e nunca se acabe
Pois meu exulta em tamanha e indestrutível alegria
Pois permanece entre nós um laço forte chamado amizade
E sempre haverá de existir também respeito e cumplicidade
Um elo muito forte que entre nós simplesmente aconteceu
E eu sei que vencerei sempre o que se opuser a essa felicidade
Pois são fortes os sentimentos que ainda existem entre você e eu

PENSEI QUE ERAS PÁGINA VIRADA


Ao parar para um descanso na minha caminhada
Já cansada e tendo pés feridos e alma sangrando
Decidi amor da minha vida, que eras página virada
Longe de saber que eu estava apenas me enganando
Os dias se passavam torturantes e cheios de dor
Mas de súbito eu vi dentro de mim tudo mudar
Em mim adormeceu meu sonho de grande amor
Já não havia vestígios de dor, tudo começou a mudar
Algo muito diferente em mim eu pude sentir acontecendo
Meu amor não havia acabado... Ele apenas adormecera
Cansado de sofrer... Lutou e aos poucos foi vencendo
A indiferença que um dia alguém para com ele cometera
Noites de dor e solidão caíram no esquecimento
A angústia da espera aos poucos foi sucumbindo
A indiferença não mais me atingia o próprio alheamento
Mostrou-me que aquele amor continuava resistindo
E não foi aos poucos que a minha vida eu tive mudada
Foi de repente, ao lembrar que no céu havia um Deus
Me apeguei a Ele no silencio de mais uma triste madrugada
Mas ao amanhecer comprovei que eu tinha algo de meu
Deus transformou amarguras em contagiantes alegrias
Desespero em paciente e bem mais tranquila espera
Eu pude sentir a presença de Deus a cada meu novo dia
Já não havia porque temer o renascer de uma nova quimera
E os dias se passaram a princípio longos e temerosos
Mas o amor de Deus se fez mais forte em meu viver
As amigas valiosas a tudo assistiram de modo até receoso
Mas nunca opinaram quanto aquele meu precioso você
Hoje o amor que meu ser acompanha é benevolente
Repleto de ternura e por ti bem maior atenção
Desconhece a palavra ciúme e também exigente
Pois é imensa a paz que existe hoje em meu coração
Quisera ter o poder de transportar para ti essa calma
Absolver todos os teus problemas, ansiedades e decepções
Quem dera Deus me liberasse para possuir a tua alma
E poder transformar em nada todas as tuas preocupações
Como eu queria que Deus fizesse em ti o que fez comigo
Me encheu de amor, bem mais do que pensei existir
Em compensação deu-me de volta um precioso amigo
Que trouxe mais brilho e alegria ao meu encantado sorrir

SOMOS NECESSÁRIOS


Bom dia amigo sol! receoso de se mostrar?
Não minha amiga, apenas quero te ver alegre
Já que não me aprecias muito já pude reparar
Vai caminhar tranquila deixa que eu aqui te espere
Ao menos por hoje te pouparei do meu aquecer
Mas após o banho vai à janela e vem me observar
Deixe eu mostrar as maravilhas que faço por você
Primeiramente olha a natureza a sorrir e cantar
Escuta os pássaros que gorjeiam pra teu prazer
A brisa que sopra a tua pele nunca calidamente
E como me torno belo quanto nasço ou vou morrer
Deixando o teu espírito repousar placidamente
Eu sei que no teu íntimo compreendes o meu existir
Pois tanto a chuva como eu, existir é imprescindível
Embora eu saiba da tua preferência torno a insistir
Que se um de nós faltasse para a vida seria horrível
Somos necessários para todos,e isto sem exceção
Também não achas essencial teu apego a VIDA?
Somos obra de Deus... Sua maravilha e criação
Em resumo, sei que também me aprecias minha amiga

quinta-feira, 6 de novembro de 2014


Só não queria que fossemos tão estranhos, mesmo assim aceito, aliás aceitei tudo que veio de ti os ensinamentos e o teu silêncio, talvez ache que esse tipo de comportamento mostra a mesma pessoa que sempre fui. Engano se assim pensares.
Me acredite... Tenho boas lembranças de ti, guardo um grande aprendizado, pois foi relendo nossas conversas que entendi muito do que sempre estavas a falar. Não te quero mal, nem ontem, nem hoje e nem tão pouco amanhã. Quero apenas que sejas feliz, que Deus continue te abençoando poderosamente e espero que eu tenha servido para algum aprendizado em tua vida, e de forma positiva, é claro. Beijos de quem tanto tem a agradecer e por incrível que pareça... nada a reclamar... (Não aguardo resposta, pois sei que esta nunca virá).

Gil Ordonio

Forma Mais Viva



ESTA POESIA... NÃO CONDIZ COM A MINHA REALIDADE ATUAL

Quantas vezes pensei da vida desistir
Mas covarde... Pela vida me deixei levar
Nunca mais tive o prazer de poder sentir
Que realmente valia a pena por algo lutar

E embora eu sempre tenha lutado
Afirmo isto nunca me tornou melhor
É que o meu mundo estava acabado
O que pra mim tornava tudo bem pior

Levada talvez por estranhas sensações
Fui sem sentir me perdendo cada vez mais
Enterrando-me num mundo de falsas ilusões
E dessa forma fui aos poucos perdendo a paz

Hoje, diante de mim vejo que está tudo perdido
Minha alma que vive em constantes desencontros
Põe nos meus lábios um largo, porém, falso sorriso
Camuflando o que até hoje agoniza nos escombros

Escombros de uma vida quase sempre tão vazia
Mergulhada cada vez mais no tédio e na solidão
Vida perdida, sem esperanças, sem ter alegrias
Só tendo amarguras e angústias no coração

E é simplesmente dessa forma que a vida eu vejo
Sempre tentando desesperada a tudo esquecer
Mas consigo afirmar sem receios e sem pejo
Que tenho por certo, isto não se aplica a você

Perdi na vida o melhor que em mim havia
E infelizmente nunca o pude recuperar
Mas talvez eu disso até também já sabia
Quando esqueci de tentar outra vez amar

Na maturidade eu até que muito aprendi
E mesmo sem nunca parar de pensar em você
Continuar a sonhar é opcional, foi o que escolhi
Quando descobri que nunca deixaria de lhe querer

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Quando Finalmente



DE MARIA ROSA PARA MANUEL

Mais um dia que me surge e renova minhas esperanças
Pois eu acredito na grandeza desse nosso amor
Anseio ter no meu sorriso a alegria de uma criança
Quero me sentir como um botão se abrindo numa bela flor
E essa distância que nos separa e tanto me maltrata
Não conseguirá nunca diminuir esse meu amor por ti
És o meu único sonho nessa minha realidade ingrata
És com certeza a razão desse meu desvairado existir
Sempre foste e és tão amado pela minha família
As lembranças me chegam, da preocupação deles por ti
A minha mãe por ti parecia estar em constante vigília
E lembro tu garboso montando a cavalo,feliz, sempre a sorrir
Hoje décadas já se passaram e eu continuo aqui
Com o coração aberto à espera da nossa realização
Pois eu sinto que nessa vida nunca haverá de existir
Um outro alguém que possa preencher o meu coração
Meu destino está marcado por esse amor especial
E sei que um dia ainda haveremos de nos completar
E espero que este nosso momento lindo e triunfal
Nos faça esquecer tudo o que veio pra nos separar
Te amo mais que ontem... Porém menos que amanhã
E a alegria que em meu peito se fez ao ouvir a tua voz
Me fará correr contra a distância e o tempo e esse afã
Me deixará feliz quando finalmente formarmos um nós

terça-feira, 4 de novembro de 2014

ESQUECESTE


Não adianta insistir em me enganar
Pois impregnasses todo meu ser
Pois me ensinaste apenas a amar
Esqueceste de me ensinar a te perder
Portanto não menti ao expor essa paz
Que tomou conta da minha alma
Só que fazer-me esquecer-te não foi capaz
Apenas restaurou em mim uma suave calma
E os dias que vão passando apenas mostra
Que olvidar-te será com certeza impossível
É que na verdade quando realmente se gosta
Viver relembrando tudo é até compreensível
E cá estou... Tranquila, calma, eu diria anestesiada
Um novo amor? não acredito, e juro, pra mim já deu
Por culpa de VIDA, do amor eu fiquei desacreditada
Afinal não sou nenhuma Julieta e você não é Romeu

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

ACREDITO AMIGA


O meu mundo é meio encantado
Nele abunda as mais variadas cores
Meu mundo mágico nada politizado
Me sobra amor, paixão e odores
Nesse meu mundo de faz-de-conta
Há tempo para tudo nessa vida
Tão logo o sol no horizonte desponta
Me levanto e o cumprimento atrevida
Que trazes hoje pra mim rei dos astros?
Me responde ele com seu brilho fulgor
Principiei os sete mares, vi até o alabastro
Só não consegui encontrar o teu amor
Por que não o continuas a procurar
Aí ele me responde com a maior convicção
Acredito amiga que só a lua poderá te ajudar
Afinal ela é o bálsamo dos perdidos de coração
Então vou voltar pra minha cama meu amigo
Fingir que durmo pra ninguém me espionar
Pois acredite meu caro sol, eu ainda não desisto
Desse meu louco e perfeito amor reencontrar
Enquanto mergulho no meu mundo encantado
Fingindo pra todos que sou meramente feliz
E que tu a lua e o destino não se façam de rogados
E me tragam esse amor, que é tudo o que sempre quis
Agora que já estamos acertados, levanta amigo sol
O mundo cá fora te espera, seja como sempre radiante
Não esqueça de encontrar meu amor, ele é o meu farol
Que haverá de guiar-me fora desse meu mundo intrigante

domingo, 2 de novembro de 2014

Prisioneira do teu amor


Mais um dia que passa sem que eu tenha notícias tuas...E mais um dia
que chega para atormentar o meu espírito com as tuas lembranças. São 
tantas noites onde te observo sem que me vejas, nesse meu mundo de 
veneração eterna, e vou prosseguindo a minha jornada infeliz, onde a 
tua presença imaginária , castiga o meu sofrido coração.
E mesmo sabendo que não mais terei a tua presença para aliviar essa 
minha solidão, deixo esse amor impossível dominar o meu eu a cada 
dia que passa, me fazendo mergulhar cada vez mais dentro dessa minha
 grande ilusão.
Bem sei que seria incoerente querer te olvidar, pois entraste em minha 
pele, 
em meu sangue e rodopias pelos meus pensamentos aprisionando-me cada 
vez mais.
E assim, todas as noites liberto o meu espírito que parte em busca da tua mente
e do teu ser, e é quando eu me sinto viva!
E apesar de tudo eu sinto que nesse meu mundo existe um amanhã que com 
certeza valerá à pena ser esperado, pois eu te terei... Como sempre te tenho... 
Nem que seja só em pensamento.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

ARDENTE ESPERA


Categoria: Conto


Magna chega do trabalho cansada, seus olhos tristes percorrem a praia deserta. O céu escuro denuncia uma tempestade que se avizinha. As recordações tomam conta da sua mente... Fora ali, naquela aldeia de pescadores que ela havia sido feliz com Marcos, um jovem sonhador que vivia de pintar os mais variados temas em seus quadros, e viveu também para amá-la loucamente, mas que um dia saíra da vida dela sem nenhuma explicação, sem sequer dizer-lhe um adeus, mas que desde então, ela continuava a esperá-lo, pois algo lhe dizia que ele ainda voltaria.
Os dias dela são sempre iguais, uma rotina tediosa que pouco a pouco envolveu-a numa solidão angustiante, da qual ela só consegue se libertar à noite, quando enlouquecida de desejos deixa-se mergulhar no delírio insano que a envolve por completo.
Nessa noite a chuva que ameaçava desabar cai como uma densa cortina entre ela e o passado. A chuva bate forte contra a vidraça, a trazendo de volta a realidade, inspirando-a para mais um ritual de amor.
Lentamente, diante do espelho Magna começa a se despir, seus olhos entristecidos observa a figura refletida, e nesse momento cenas do passado lhe volta à mente, e como num passe de mágica ela vê Marcos a despindo, peça por pena com a maior lentidão, sempre admirando e amando cada parte do seu corpo.
E foram em muitos desses momentos que eles terminaram fazendo amor debaixo do chuveiro ou então na banheira.
Um tremor percorre todo o seu corpo, ela sabe que não é de frio, , é o desejo fremindo dentro dela, é sempre assim quando ela se lembra dele e dos muitos momentos vividos. Sem pressa se dirige ao banheiro, precisa tomar um banho de imersão para relaxar. Deslizando sensualmente por entre as espumas, ela mais uma vez se pega a ensaiar os ritmos do prazer... Momentos depois, ainda coberta
de espumas, se dirige para o quarto. a cama parece convidá-la pra uma noite de delírios e prazer. 
Envolvida em seus loucos anseios, entorpecida pela embriaguez das suas fantasias eróticas, ela vê o tão esperado acontecer. Ela fica extasiada ante o que está por vir. De repente Marcos surge diante dela, seus olhares se cruzam e o desejo de ambos parece prestes a explodir. E entre sussurros e gemidos ela sente o deslizar lascivo das mãos dele por todo seu corpo, suas entranhas parecem em chamas.
A língua dele descreve um círculo em volta dos seus mamilos j´s entumescidos pelo desejo, quase levando-a a loucura. Marcos parece não compreender a urgência dela em explodir no prazer que ele tão bem sabe lhe induzir. Nesse momento Magna começa a explorar o corpo dele, ela sente que ele também está no auge, prestes a atingir o ápice da comunhão daqueles corpos sedentos de amor.
Magna suplica-lhe que a possua e quando ela se prepara para recebe-lo, desperta daquele delírio e descobre mais uma vez que estivera a sonhar.
E assim tem sido desde aquele dia em que ele partiu deixando-a no mais completo abandono. E ela tem feito de cada dia uma longa espera, de cada noite uma angustiante luta contra o desejo que a invade, vencendo suas forças, deixando-a louca na ânsia de uma entrega total.
Com o rosto banhado em lágrimas ela se levanta, olhando através da janela, vê a chuva que continua a cair e mais uma vez ela se lembra dele, as recordações lhe traz o momento em que se conheceram. Havia sido numa noite como aquela... Chovia muito e a casualidade os pusera frente a frente e como num conto de fadas eles viveram felizes até aquela tarde quando ela voltara para casa e não o encontrar. Ele abandonara até os quadros que ele havia pintado com tanto amor, a pintura era sua grande paixão, talvez por isso ela tinha esperanças que ele ainda iria voltar e tudo voltaria  a ser como antes.
Ela sai da janela... O barulho da chuva parece ferir-lhe a alma, e ela continua a pensar no Marcos e sem se dar conta do que está fazendo, abre a porta e começa a caminhar debaixo da chuva, esquecida que estava completamente nua, envolvida pela bruma.
Sente a água escorrer pelo seu corpo, mas nem assim consegue aplacar um pouco a chama que lhe devora a alma. Continua a caminhar sem rumo. a praia é deserta e os pescadores moram um pouco distante do seu chalé. Porém nesse momento ela percebe um vulto se aproximando, apesar da escuridão ser intensa, na verdade ela mais sente do que vê, e o mesmo já está bem próximo dela e sem querer acreditar, julgando estar sonhando, na certeza de ser mais um momento de desvario, olha pasma para ele.
Sim, ele voltara afinal, ou estaria a delirar mais uma vez? Mas Marcos se aproxima, nada fala, apenas a toca nos ombros e as suas mãos ousadas deslizam por todo o corpo dela. O beijo exigente a faz entregar-se trêmula de paixão.Nada mais há a fazer, nada a perguntar. 
Lentamente ele a deita na areia, esquecidos do temporal, e entre carícia e gemidos ansiosos, ele com a sua língua sedenta, vai deixando um rastro de fogo por todo aquele corpo já tão incendiado pelo desejo. E é com satisfação que ela sente a rigidez dele lhe penetrando e o seu gozo é um grito de liberdade dos seus cindo sentidos que ecoa livremente pelo espaço rasgando o silêncio da noite.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Os Homens da Minha Vida


Primeiramente falarei do meu pai
Era um homem simples porém arrogante
Os seus cuidados da minha mente não sai
Esse homem foi para mim muito importante
Me lembro de como eu era pequena
E ele sempre tão cuidadoso e seguro
Em suas brincadeiras alegres e serenas
Sempre me alertava quanto ao meu futuro
(Nilson)
Já você, foi o meu despertar inocente
Minha primeira experiência de namorado
Esses são momentos comuns a tanta gente
E que no tempo nem sempre fica gravado
E foi algo sempre tão bonito e delicado
Nos cuidados para as regras não infringir
Talvez por isso no tempo eu o tenha guardado
Pois era grande a preocupação em não ferir
(Antônio Carlos)
Mas quanto a você que foi o meu primeiro amor
E na verdade não foi o meu primeiro namorado
Você que sem nenhum cuidado tão cedo me magoou
E transformou meu viver num mundo desencantado
Pois foi você o maior dilema que eu um dia vivi
Você foi na minha vida, arrebatamento e adoração
Foi você um deus que eu nunca duvidei,e sempre cri
E que vi na minha vida, se transformar em obsessão
Você não foi apenas o meu primeiro e grande amor
Também o tive como professor de todos os sentimentos
Por sua causa tornei-me então, esfinge do desamor
E quase me vi sucumbir em meio a tantos sofrimentos
(Meu esposo)
Mas nesse meio tempo conheci uma linda criatura
Que me chegou num dos piores e tristes momentos
Tinha em seu jeito um pouco rude, uma alma pura
E com seu modo simples tentou aliviar meu tormento
Mas alí havia muita simplicidade para então entender
Toda a extensão dessa amargura que havia em minha vida
Pois não era tão fácil aceitar que ainda havia um você
Que ainda me magoava com todas as lembranças vividas
Mas foi em meio as muitas e sempre grandes decepções
Que a vida me ensinou de um jeito um tanto quanto abrupto
Que não se vive apenas de grandes ou pequenas ilusões
Mas que se pode transformar em meigo o que também é bruto
(Meu amigo Sérgio)
E quando foi um dia, para amenizar o meu sofrer
Surgiu um homem,para me fazer em algo mais acreditar
Pois foi quando eu tive a chance de lhe conhecer
Que eu pude descobrir uma nova e pura forma de amar
E foi nesse meu momento de pouco interesse pela vida
Que ela me presenteou com este ser que adoro até hoje
Um amigo, homem perfeito, que ao me ver tão perdida
Com carinho minha vontade de viver de volta ele trouxe
E foram esses os principais homens da minha vida
O primeiro que além de me dar a vida também me ensinou
Que as situações que a nós pela vida é trazida
Deve-se lutar,pois o próprio Jesus seus braços não cruzou
Já o segundo passou tão rápido que as vezes penso por fim
Que são homens assim que podem ou não nossa vida marcar
Porém as vezes refletindo sinto, que este foi para mim
Um exemplo saudável e seguro para no futuro me recordar
Mas e quanto a você? que conheci como meu primeiro amor
Idolatrei-o como um deus e deixei que invadisse meu coração
Como fui tola... Eras apenas de barro e logo você se quebrou
Me deixando conhecer toda a amargura existente na solidão
E como em todas as grandes histórias sempre surge um herói
E este, nem sempre cria uma situação que a todos favoreça
E muitas vezes por esquecer que o ciúme a tudo destrói
Sem pensar vai fazendo das suas dúvidas a sua maior certeza
Mas aquele que se tornou amigo, sempre gentil e protetor
Que abraçou-me nos meus momentos de incertezas e agonias
Um homem de fibra e que apenas com a verdade me mostrou
Que na vida se pode salvar sentimentos e buscar alegrias
Um alguém que me aceitou com ternura, sem me questionar
Que me ofereceu uma amizade sincera e um ombro amigo
Onde busco consolo e sempre que preciso vou me refugiar
Um amigo que me trouxe para a minha vida outros sentidos
.........................................................................................................
..........................................................................................................
Mas os anos foram passando, amargos e cheios de dor
E houve ocasiões em que pensei que ia enlouquecer
Foi quando o destino de repente na minha vida colocou
Uma pessoa que iria mudar completamente o meu viver
Foram poucas semanas onde eu conheci sem contestar
Tudo o que é necessário na vida de uma mulher
O pai, o amigo, e por fim o amante, para me mostrar
Que tudo é possível quando realmente ainda se quer
Foste como um pai, presente que eu poderia querer,
O amigo de todas as horas que eu podia contar
Depois tive nos braços o amante imaginário, você
Que foi capaz de meus sentimentos despertar...
Foste o homem completo que um dia na minha vida surgiu
E confesso que por mais que eu tentasse não conseguia entender
Que eras o bem mais caro e precioso que um dia sentiu
Todo o drama que eu não conseguia me livrar, só mesmo esconder
E me mostraste com tua experiência e sabedoria
Que eu ainda poderia sentir pela vida amor e prazer
E na tua voz encontrei refúgio e bem mais alegria
Nas tuas mensagens o prazer pelo simples querer...
Mas rápido te foste de mim... Assim como chegaste
Mas deixaste um grande aprendizado em minha vida
Por amor te aceitei e com amor me transformaste
E infeliz ou não, me livrei das tristezas e me fiz atrevida
E foi assim que no meu mundo, essa VIDA um dia chegou
Me transformando eu agora sei, para o melhor, ainda bem
De saudades ainda sinto o meu peito doer, é que acabou
Mas aqui encerrei o meu quinhão de dor e de prazer também
E foram esses os homens que um dia muito me ensinaram
Uns me deixaram sorrir e outros que me fizeram chorar
Simples mortais que em deuses por mim foram transformados
Homens simples, rudes, gentis, e que também souberam amar


Mas foi com todos eles que eu um dia pude entender
Cada um dos sentimentos que regiam meu coração
Pois desde o mais simples deles eu consegui aprender
Que o verdadeiro e perfeito viver não passa de ilusão